Segunda reunião do G6 trata do abastecimento de energia elétrica e fomento ao turismo

Além dos representantes dos municípios que compõem o grupo, encontro contou com a presença de colaboradores da RGE e do secretário de Turismo do Estado do Rio Grande do Sul, Ronaldo Santini

1 O Seminário São Boaventura em Daltro Filho, Imigrante, sediou na sexta-feira, dia 2 de julho, a segunda reunião do G6: grupo formado pelos municípios de Fazenda Vilanova, Imigrante, Paverama, Poço das Antas, Teutônia e Westfália que se unem para tratar de pautas coletivas e de interesse regional.

 A reunião contou com a presença de prefeitos, vice-prefeitos, secretários e servidores municipais que, em nome dos municípios, compartilharam experiências e pontos de vista especialmente em relação ao abastecimento de energia elétrica e o fomento ao turismo, principais pautas que nortearam a reunião. Para tanto, o encontro contou com o comparecimento de representares da RGE – CPFL Energia do Vale do Taquari e Vale do Caí, que apresentaram números, dados e informações importantes sobre o atendimento realizado pela empresa, como também com a presença do secretário de Turismo do Estado do Rio Grande do Sul, Ronaldo Santini e sua equipe, que falou sobre as ações desenvolvidas pela pasta e como elas podem ser aplicadas no contexto regional.

Energia elétrica

3 A reunião iniciou com a saudação do presidente do G6 e anfitrião da reunião, prefeito de Imigrante, Germano Stevens, que de imediato foi sucedido na fala pelos representares da RGE – CPFL Energia: Umberto Ossig Santana, consultor de negócios – Região Vale do Taquari, e André Luís da Silva, consultor de negócios – Região Vale do Caí.

 Na apresentação, Santana e Silva falaram em nome da empresa que representa o fornecimento de 65% da energia elétrica do Rio Grande do Sul e que, no G6, significa principalmente o atendimento dos municípios de Imigrante, Fazenda Vilanova e Paverama. Os representantes da empresa compartilharam dados relacionados a concessão de energia e elencaram quais os princípios da RGE nesse sentido. Além disso, citaram as prioridades e também quais as principais dificuldades relacionadas ao atendimento, além de ressaltar os investimentos realizados para ofertar um serviço que atenda às expectativas e necessidades dos clientes.

 A partir das explanações, os representantes dos municípios atendidos pela RGE compartilharam suas principais dúvidas e anseios com relação ao serviço prestado pela empresa. Entre os apontamos, esteve a necessidade de executar um planejamento para emergências que tenha olhos para a produção rural e a agricultura, levando em conta os prejuízos enfrentados pelo setor quando há o desabastecimento de energia elétrica. Além disso, os representantes ressaltaram que a RGE precisa levar em consideração as características e particularidades da região do Vale do Taquari, bem como otimizar o seu tempo-resposta para quando solicitado atendimento. Outro aspecto mencionado foi a necessidade de facilitar a comunicação com a empresa e a construção de um plano de ações preventivas e proativas, que, no caso de ocorrências, evitem o desabastecimento de energia por longos períodos.

 A partir dessas considerações, os representantes da RGE solicitaram que seja feito um levantamento, junto a cada município e suas respectivas localidades, para inicialmente identificar quais as principais causas de um possível desabastecimento: questões técnicas ou estruturais, necessidade de poda na vegetação, ou outro motivo, por exemplo. De acordo com Santana e Silva, com esse levantamento será possível constatar quais os clientes afetados por possíveis desabastecimentos e assim, formalizar ações e dar perspectivas em cima de melhorias, possibilitando, dessa forma, que os gestores cobrem os devidos resultados.

Turismo

2 Na sequência, a reunião também teve espaço para a apresentação do secretário de Turismo do Estado do Rio Grande do Sul, Ronaldo Santini. Para ele, o turismo, especialmente local, é uma forma de recuperação econômica e fonte de recursos. Reconhecendo que foi um dos setores fortemente afetados pela pandemia, observou que se, por um lado, algumas atividades foram cessadas, de outro, abriu-se os olhos para novas possibilidades de roteiros e lugares.
Santini ressaltou a importância de espaços abertos e em meio a natureza para esse momento que vive o turismo. Sendo assim, alertou para os representantes dos municípios presentes: "turismo não é somente potencial, é produto. Precisa estar modernizado e conectado”. Nesse sentido, destacou a necessidade da qualificação do destino turístico, dos empreendedores e daqueles que recebem os que vêm de fora.

 Aos presentes, o secretário estadual apresentou as iniciativas da pasta para fomentar o turismo gaúcho e explorar os diferentes pontos e propostas de lazer, visitação e contemplação que existem no Rio Grande do Sul, sugerindo, inclusive, que se tenha um olhar sensível e atento às possibilidades que os municípios do G6 apresentam nesse sentido.

Saneamento básico

 Na reunião do G6 também foi explanado brevemente sobre as alterações no Plano Nacional de Saneamento Básico, especialmente o marco regulatório que limitou o prazo para a regularização da maior parte do tratamento de esgoto até 2033, bem como alterações que dizem respeito a participação e abrangência de associações no abastecimento e fornecimento de água. O assunto chamou a atenção dos gestores e deve ser contemplado e aprofundado ainda nos encontros posteriores. A próxima reunião do grupo de municípios será realizada no dia 6 de agosto, com local e ser definido no município de Teutônia.

Crédito do texto: Assessoria de Comunicação (ASCOM) de Poço das Antas
Crédito das fotos: Cris Tomé/divulgação

Contato

INSTA YOUface

Horário de funcionamento

Administração: Segunda à Sexta 7h30 às 11h30 / 13h às 17h
Tesouraria: Segunda à sexta 8h às 11h30 / 13h às 16h30
Saúde: Segunda à Sexta 7h30 às 17h